Ivair

Ivair Ferreira nasceu no dia 27 de janeiro de 1945, na cidade de Bauru, interior de São Paulo. Ivair, que mais tarde seria apelidado de “O Príncipe”, chegou à Lusa aos 12 anos de idade, em 1957. Na equipe principal, apareceu no dia 29 de maio de 1962, jogando seu primeiro coletivo na equipe de suplentes, sendo chamado pela imprensa de Evanir. Só começaram a chamá-lo de Ivair dias antes da partida da Portuguesa contra a Prudentina, na Rua Javari, sua estreia com a camisa profissional da Rubro-Verde.

Nessa partida, Ivair começou a ganhar notoriedade, a Portuguesa perdia por 1 a 0 até que “O Príncipe” entrou em campo aos 40 minutos da segunda etapa, marcando o gol de empate, um golaço no ângulo da meta interiorana. De tanta emoção, Ivair desmaiou no gramado. Sua estreia internacional ocorreu na Bolívia, marcando um dos gols da goleada lusitana por 5 a 1 frente ao Laguna.

Ivair assinou seu primeiro contrato como profissional no dia 11 de fevereiro de 1963, recebendo salários de 45 mil cruzeiros e luvas da ordem de 200 mil cruzeiros. Em um ano, Ivair conseguiu tirar sua família da Favela de Vila Espanhola e dar-lhes a primeira casa de alvenaria na Vila Ede.

Ao lado de Ratinho, Leivinha, Rodrgigues e Basílio, compôs o famoso “ataque iê iê iê”, fazendo referência à Jovem Guarda, que ganhava força na música brasileira à época. Ivair também travou uma interessante batalha com o goleiro Valdir Joaquim de Moraes, do Palmeiras, o atacante marcou 15 gols em 11 partidas seguidas contra o alvi-verde, marcando gols em todas elas, entre 1962 e 1968.

Ivair começou a ser apelidado de “O Príncipe” após uma brilhante partida realizada por ele em um clássico contra o Santos, quando o “Rei” Pelé o cumprimentou ao final do jogo. Raul Tabajara, um dos mais famosos locutores da época, deu ao jovem a alcunha de Príncipe, já que Pelé era Rei. Devido ao seu brilhante futebol, o apelido pegou de imediato. O último gol de Ivair, vestindo a camisa da Lusa, aconteceu em um amistoso no estádio da Ilha Randall, EUA, em uma vitória lusitana por 1 a 0 sobre o Greek American.

Ivair foi vendido para o Corinthians no dia 27 de agosto de 1969, por 600 mil cruzeiros, dinheiro esse que foi importantíssimo para a construção do Estádio do Canindé. Defendeu ainda Fluminense e América-RJ. Teve uma longa carreira no exterior, que começou na Universidad do México. Mudou-se depois para Toronto, onde jogou por cinco anos, depois Cleveland e no Rall Reavers, de Boston. Retornou ao Brasil em 1983 e pouco depois passou a treinar a equipe juvenil da Portuguesa.

Ivair, ao todo, disputou 307 partidas pela Portuguesa, somando 127 vitórias, 84 empates e 96 derrotas, marcando 103 gols.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s